O ESTRANHO MUNDO DO STF

O ESTRANHO MUNDO DO STF

       Ando com a cuca meio enviesada com as últimas decisões dos doutos ministros do Supremo Tribunal Federal. Vejam se não tenho razão. Afastaram Eduardo Cunha da presidência da Câmara. Ele estaria usando o cargo pra manipular interesses pessoais. Mas acharam natural ele ter aceito e presidido a votação do tal impítman. Defesa de Dilma levantou suspeita sobre o relator do processo no Senado, Antonio Anastasia, que, além de tucano, interessadíssimo no afastamento da Presidenta, é a figura mais próxima de Aécio Neves, patrocinador primeiro do impítman. Mas o ministro Lewandowski não vê motivo algum para afastá-lo da relatoria. Gilmar Mendes ficou furioso com o vazamento do pedido de ordem de prisão para a cúpula do PMDB, mas achou naturalíssimo o crime de Moro de grampear a Presidenta da República e compartilhar as gravações com a Globo. Defesa de Dilma pediu ao STF para usar as gravações de Sérgio Machado com Romero Jucá, nas quais os dois tramam descaradamente contra a Lava Jato e o País, como provas de que, muito aquém e além das “pedaladas”, está-se diante de um golpe dos mais sem-vergonhas. Mas o senhor ministro Teori Zavascki negou, alegando que se trata de “gravações sigilosas”, quando se sabe que apenas Deus e o mundo já ouviram as conversas escabrosas dos dois personagens. Impressão minha ou há indícios de que os senhores ministros, como corre à boca larga por aí, estariam em estado contemplativo diante do golpe?

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Pin on Pinterest0Email this to someonePrint this page