O TRAFICANTE E O GOLPISTA

O TRAFICANTE E O GOLPISTA

Há muitas semelhanças entre os dois. O traficante viola o Código Penal, enquanto o golpista viola a Constituição do país. O primeiro quer o enriquecimento fácil e, para isso, dribla a lei; já o segundo quer a facilidade de chegar ao poder e, para isso, não hesita em quebrar as regras democráticas das eleições. O traficante, com sucessivas transgressões, alimenta sua compulsividade em busca de seus intentos criminosos; já o golpista, feito um boneco replicante, alimenta de forma incansável sua mente ardilosa em busca de pretextos que possam saciar seu espírito autoritário e oportunista. Ao primeiro, pouco importa a tragédia de suas vítimas gerada pela dependência do seu comércio torpe; ao segundo, nada significam as trágicas consequências políticas e sociais com a quebra do Estado de Direito. Um e outro são extremamente nocivos e indesejáveis em qualquer sociedade que se diga moderna.

A CRISE DOS GOLPISTAS

A CRISE DOS GOLPISTAS

       Mas afinal, que diabo de crise é essa? Em 2002, o último ano do governo do senhor Fernando Henrique Cardoso fechou com uma taxa de inflação de 12,53%. A previsão para 2015 é de 9,2%, se o cenário não melhorar. Em 2002, o mesmo governo tucano fechou o ano com o desemprego na casa dos 12,6%. A prévia para 2015 sinaliza 6,9%. Vão procurar coisa decente pra fazer, seus golpistas, e deixem a democracia do nosso Brasil em paz!

OS PERIGOS DA INSANIDADE POLÍTICA

OS PERIGOS DA INSANIDADE POLÍTICA

       No filme “O julgamento de Nuremberg”, há uma cena em que um dos oficiais julgados tem um lampejo de autocrítica e registra em sua fala que o nazismo foi montado em cima de chavões. Domesticadas pelos chavões, as pessoas perdem a capacidade de pensar, que é a mais extraordinária virtude do ser humano. A partir daí, as elas se limitam a obedecer direções. E, de fato, assim se deu no regime nazista de Hitler, quando se plantou que o bode expiatório da sociedade alemã eram os judeus e outras minorias. O resto da história a gente conhece. Continue lendo

A CRISE REVELA VERDADES

A CRISE REVELA VERDADES

       Ah! A História, sempre implacável. Muitas vezes, uma crise é providencial pra trazer à tona verdades factuais e históricas peremptoriamente negadas pelos reaças de plantão. Aí, você abre o jornal e se depara com a seguinte manchete: “Classe C deixa de comprar carro novo”. Ou seja, pela lógica discursiva, se deixou de comprar é porque comprava. Se comprava, é porque passou a ter condições para tal. Aí, você lê o primeiro parágrafo e lá está a confissão: “Principal responsável pelo crescimento contínuo das vendas de carros novos por quase dez anos, até atingir o recorde de 3,8 milhões de unidades em 2012, a classe C já não faz a festa da indústria automobilística”. Mais um dado: a classe C fazia a festa da indústria automobilística. Pronto! A tal crise traz à tona a verdade factual e histórica: a classe C melhorou seu poder aquisitivo, ao ponto de comprar carro zero nos governos Lula e Dilma. PT saudações.

…E O VIRALATISMO BRASILEIRO REINA FORTE

…E O VIRALATISMO BRASILEIRO REINA FORTE

Que o País vive uma situação econômica desconfortável, reflexo da crise que persiste mundo afora, não tenho dúvida. Mas não tenho dúvida, também, de que se vive uma profunda crise de viralatismo, fruto de uma cruel e bem engendrada orquestração reacionária, com apoio irrestrito da banda podre da mídia, com vistas a neutralizar as inúmeras conquistas sociais dos últimos doze anos. Quantos países gostariam de estar comemorando o feito de terem cumprido a meta do milênio de redução da fome e da pobreza? Continue lendo

A REDUÇÃO DA FOME E DA POBREZA E O CRASSO ERRO DO PT

A REDUÇÃO DA FOME E DA POBREZA E O CRASSO ERRO DO PT

O Brasil inteiro deveria estar em festa. Deveria, sim, ser feriado nacional! A ONU anunciou que o País cumpriu a meta do milênio em redução de pobreza e fome. Confesso que, vividos meus mais de sessenta anos, posso dizer que vivi, convivi e vi muitas coisas, mas nunca sonhei como possível viver esse extraordinário momento em que o mundo, com a chancela da ONU, fica sabendo dessa conquista que qualquer país com a trajetória do Brasil gostaria tanto de comemorar. Curiosa e trágica, entretanto, é a contradição política que se vive. Continue lendo

TETO SALARIAL PARA OS PROFESSORES

TETO SALARIAL PARA OS PROFESSORES

O executivo municipal argumenta que, face à crise, o reajuste dos professores não pode passar de 9,5%, já aprovado pelos nobres vereadores. O salário inicial de um mestre irá variar entre R$ 1.344,00 e R$ 1.471,00. Quanta dinheirama, heim? Como ser bem preparado e acumular tamanha responsabilidade com tão pouco pra manter a dignidade? A crise como argumento, por sua vez, chega a ser risível. Tenta passar a ilusão de que, em tempos de bonança, os salários desses profissionais são extremamente valorizados. E pensar que o teto máximo do salário de um servidor público é o de ministro do STF, R$ 33.700,00. Quanta diferença para R$ 1.344,00!!! Pensando aqui com meus botões. Que tal o teto máximo passar a ser o salário de um professor?

 

A CIÊNCIA AGONIZA NO AMAZONAS

A CIÊNCIA AGONIZA NO AMAZONAS

Está no jornal da SBPC. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) destinou R$ 1,15 bilhão a pesquisas científicas e tecnológicas desenvolvidas naquele estado em 2014, montante 4,5% acima do ano anterior, proporcional, naturalmente, à grandiosidade de São Paulo. A lógica está corretíssima! Em tempos de crise, investir em CT&I é essencial para mais rápido livrar-se dela. Continue lendo

BREVE AULA (GRATUITA) DE ANÁLISE DO DISCURSO

BREVE AULA (GRATUITA) DE ANÁLISE DO DISCURSO

Uma das estratégias mais ardilosas embutidas em um discurso é quando o sujeito administra outras vozes, coloca-as em conflito e delas se distancia, agindo como mero espectador, como se nada tivesse a ver com o acontecido. Em sua desesperada tentativa de livrar o pescoço, Eduardo Cunha tem posto em prática com muita habilidade essa artimanha.Ao acusar, por exemplo, Sérgio Moro de ser “dono do País”, ele atribui ao desafeto características que o colocam em imediato conflito com a própria noção de liberdade e estado de direito. Continue lendo

BREVE AULA (GRATUITA) DE ANÁLISE DO DISCURSO

BREVE AULA (GRATUITA) DE ANÁLISE DO DISCURSO

Não se iludam. O senhor Eduardo Cunha, como se diz aqui pelas nossas bandas, não é daqueles tolos que caem da rede e ficam a brincar com os punhos. Sua primeira reação, diante da acusação de ter recebido R$ 5 milhões em propina, não foi defender a si mesmo, mas angariar cumplicidade institucional. “Há um objetivo claro de constranger o Poder Legislativo”. Sacaram a parada da arguta criatura? Sibilinamente, desviou o foco da acusação de si para a instituição Congresso. Traduzindo em miúdos: quem está em xeque não é Sua Excelência o achacador da República, mas a instituição Congresso Nacional, que deve se defender de constrangimentos. Viram como ele sabe administrar seus interesses trabalhando ardilosamente o discurso?