A FALÊNCIA DA MÍDIA IMPRESSA

A FALÊNCIA DA MÍDIA IMPRESSA

       Mantenho minha tese, que não é de hoje. A velha e cansada mídia no Brasil, particularmente a impressa, nunca tirou lições da falência do modelo pelo mundo afora. Continuou insistindo em atuar como partido político e privilegiando a opinião, com viés de manipulação, em detrimento de verdades factuais. Investiu, portanto, na falta de credibilidade. Ora, como sempre afirmei, não dá pra concorrer com o império da opinião, que são os blogs, portais e as redes sociais. Resultado: de acordo com o mais recente levantamento do Ibope Media, o faturamento com publicidade de jornais e revistas caiu 20,9% no primeiro semestre deste ano. Não é pouco! Consequência disso, esses veículos vêm definhando a cada dia, alguns de forma discreta, outros a olhos vistos. O caso mais dramático e iminente de falência é o da Veja, da editora Abril, notadamente transformada em panfleto semeador de crise e ódio contra Lula e Dilma Rousseff. Sua mais recente vítima foi o senador Romário.

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Pin on Pinterest0Email this to someonePrint this page