UM FRANCOATIRADOR ANTIPETISTA NA REDAÇÃO DE A CRÍTICA

UM FRANCOATIRADOR ANTIPETISTA NA REDAÇÃO DE A CRÍTICA

Elaborar manchetes descoladas dos fatos relatados no corpo da matéria, expressando apenas a vontade, o capricho e a convicção ideológico-partidária do mancheteiro ou de seus chefes, é uma cruel forma de manipulação, além de ostensiva desonestidade com a boa fé do leitor, na medida em que tenta idiotizá-lo. Pois há um francoatirador na redação de “a crítica” que tem se especializado nessa prática. Com um detalhe: sua preferência são manchetes que, de alguma forma, possam atingir o governo petista, seus líderes ou mesmo admiradores. Nesses dias, impressionou-me uma de suas pérolas. “ORDEM PARA DERRUBAR FLORESTA”, estampou em sua manchete.
No lide, arrematou com o seguinte absurdo: “Partiu do Palácio do Planalto, e o ministro Patrus Ananias anunciou a derrubada de 12 milhões de hectares para a reforma agrária”. Tão grave quanto a ignomínia é percorrer a matéria e não encontrar nada, absolutamente nada sobre a derrubada de 12 milhões de hectares de floresta a mando da Presidenta Dilma. No dia anterior a esse papelão, o mesmo francoatirador já havia se saído com outro, valendo-se do mesmo expediente: “AMIGO DE LULA PEDE DEMISSÃO”. Da mesma forma, embora o texto nenhuma referência faça à “amizade” de Lula com o empresário da Odebrecht, o pertinaz mancheteiro resolveu tirar suas conclusão por conta própria e transformá-la em fato. Noutro dia, sempre marcando sua obsessão antipetista, fez estampar outra de suas pérolas: “DIAS TOFFOLI ANALISARÁ ESCÂNDALO PETISTA”. Já escaldado, corri para o texto. Nenhuma alusão ao PT nem a qualquer outro partido. Ao ministro do STF, e isso está na matéria, caberia assumir os inquéritos da Lava Jato. Mas tudo leva a crer que, ao endiabrado mancheteiro, não interessa o corpo da matéria, mas o que lhe convém inventar. Em outra ocasião, o voraz mancheteiro encontrou um sórdido caminho para se achar no direito de julgar e condenar Chico Buarque à revelia. O texto tratava do fato do cantor, contrário à redução da maioridade penal, ter-se deixado fotografar com uma camiseta expondo a frase “Redução não é a solução”. Não pensou duas vezes e lascou seu veredicto na manchete: “CHICO É A FAVOR DO PERDÃO A DELINQUENTE”. Suprema baixaria. Como sou das antigas, do hoje reduzido e quase extinto grupo que ainda gosta de ler jornais impressos todos os dias, fatos dessa natureza não só causam profunda indignação ao meu sentimento de leitor, como também acentuam minha convicção de que a crise vivida pela mídia, sobretudo a impressa, é de credibilidade. E o francoatirador antipetista da redação de “a crítica” vem dando enorme contribuição para isso.

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Pin on Pinterest0Email this to someonePrint this page