O TROFÉU DO GOLPE(2)

O TROFÉU DO GOLPE(2)

       Lembrei, antes, que a provinciana capa do jornal A crítica no dia do golpe no Senado não era novidade. Com Temer, o usurpador, em página inteira enlaçado pela faixa presidencial, acima e em letras garrafais a palavra “esperança” e abaixo, também em letras garrafais, a frase “que Deus nos abençoe”, aquela capa era o troféu do jornal para o jornal por seus relevantes serviços prestados ao golpe de estado. Mas dizia, também, que aquele triste registro se prestava a outras tantas leituras, nenhuma delas, ao meu ver, edificantes. Ora, ao usar a palavra “esperança” no alto da página, a quem o mancheteiro ou o seu ordenador estariam atribuindo a autoria do pedido de “esperança”? Aos golpistas? Ao desejo do mancheteiro e de seu ordenador de que o golpe dê certo? Ao próprio Temer, o usurpador? Todas essas respostas podem ser positivas, mas o sentido aí atribuído à palavra “esperança” não contempla, de forma alguma, outros tantos brasileiros e brasileiras que defenderam e defendem o mandato de Dilma Rousseff. Por isso mesmo, o uso da referida palavra denuncia uma cabotina manipulação na capa de um jornal que, supõe-se, seja lido por pessoas de diferentes matizes ideológicos. Faltou respeito a essa diversidade de leitores. Por outro lado, evocar a bênção de Deus nesse contexto é agredir de forma rasteira e sem piedade a fé cristã e aqueles que não a professam, mas têm respeito pelos que a professam. É vulgarizar o apelo a Deus, talvez numa referência que corrobore aquele grotesco e triste espetáculo na Câmara dos Deputados. É, ao mesmo tempo, colocar Deus em maus lençóis, porque pede a Ele que abençoe a promiscuidade política de homens e mulheres que protagonizam esse triste momento político da vida brasileira. Nesse aspecto, é oportuno lembrar que, no mesmo dia da fatídica capa do jornal, corria mundo afora a notícia, essa sim, factual, de que sete dos ministros de Temer, o usurpador, estão envolvidos em processos judiciais por diferentes acusações. É ou não é um ultraje pedir a Deus que abençoe esse quadro de coisas? Mesmo um ateu, como eu, que respeita a crença alheia, se sente ofendido pelos outros. Portanto, essa capa do jornal pode representar tudo, menos um jornalismo honesto, decente e isento que mereça entrar para os anais da História.

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Pin on Pinterest0Email this to someonePrint this page