O CRIME COMPENSA

       A Folha de S. Paulo, da família Frias, cometeu um crime jornalístico. Mais um. Passou para seus leitores a mentira de que 50% dos brasileiros querem a permanência de Temer, o usurpador, no poder. Foi desmascarada. O percentual mais próximo é de 19%. Da mesma forma, a família Frias engabelou seus leitores com a balela, essa mais descarada ainda, de que apenas 3% da população deseja eleições diretas como saída para a crise. Foi desmascarada de novo. Esse percentual chega a 62%. Ora vejam, de 3% para 62% é uma diferença estúpida, Continue lendo

ANÁLISE DE DISCURSO PARA PRINCIPIANTES

       Em termos bem simples, a coisa se resume ao seguinte: o significado das palavras está para o que se diz; o sentido está para o como se diz. Neste último caso, estamos no mundo do discurso. E, pelo discurso, é possível construir diferentes sentidos partindo das mesmas verdades factuais. Querem um exemplo? A última pesquisa IBOPE apurou o seguinte: 66% da população não confiam em Michel Temer e 13% aprovam seu governo. São, digamos, dados factuais. O modo como os jornais se utilizam desses dados, entretanto, projeta sentidos diferentes sem alterar os números. A manchete de O Globo, por exemplo, foi: “Governo Temer tem aprovação de 13% dos brasileiros”. Continue lendo

O PAPEL CRIMINOSO DA MÍDIA

Soube-se apenas pelas redes sociais e blogs alternativos. O MPF definiu que Dilma Rousseff não cometeu crime de responsabilidade com as tais “pedaladas fiscais”. Mandou arquivar o processo. Portanto o “impítman” é golpe desavergonhado. Mas a chamada velha mídia nenhum destaque deu ao fato. Isso comprova sua cumplicidade com o golpe. E, na medida em que deixa de noticiar fato de tamanha relevância, a envolver o voto de 54 milhões de brasileiros e brasileiras, comete crime contra o direito à informação. O que esperar, entretanto, de uma banda podre da mídia que apoiou o golpe de 64? É só mais um apoio a um outro golpe.

O SUPERFICIAL E O RESTRITO NO ENSINO DA REDAÇÃO

Persegue-me a preocupação com o ensino voltado para o que costumo chamar de desafios da produção escrita. Sei que isso envolve questões preliminares que remontam às séries iniciais do ensino fundamental e que precisam ser encaradas sem demora por pesquisadores e professores da área. Ultimamente, entretanto, tenho voltado minha atenção de pesquisador para as três séries do ensino médio, justamente aquelas que antecedem a entrada do estudante no curso superior. Isso se deve à constatação de que, mesmo submetidos às provas do Enem e do vestibular, apenas uma parcela muito pequena de alunos consegue, e a duras penas, estruturar a contento o registro de suas idéias na modalidade escrita de sua língua materna. Diante do fato, por muito tempo, como professor da Universidade Federal do Amazonas, operei em duas frentes: tentei suprir tais carências, desenvolvendo com meus alunos calouros uma série de atividades didático-pedagógicas que considero inovadoras e voltadas exclusivamente para a produção escrita; e, simultaneamente, busquei, na análise de alguns livros didáticos por eles usados no ensino médio, possíveis respostas para suas fragilidades no campo da escrita. Com isso, penso ter conseguido avançar mais um pouco em minhas descobertas e reforçado minhas convicções. Continue lendo

OS PROTEGIDOS DA GLOBO

       Historicamente, a Globo nunca fez bem ao Brasil. Sempre agiu de forma nociva aos interesses da democracia e do povo. Querem um pouco, só um pouquinho desse macabro retrospecto? Os Marinhos apoiaram com fervor o golpe civil-militar de 64, que deixou o País durante 21 anos à sombra de uma ditadura truculenta e sanguinária; manipularam informações e deram sustentação a Fernando Color, o “caçador de marajás”; da mesma forma, os Marinhos fabricaram os “bons tempos” de FHC, mesmo tendo quebrado o País três vezes; levaram às últimas consequências o apoio à candidatura do senhor Aécio Neves, hoje um recordista de citações na Lava Jato; os Marinhos, também, foram os grandes patrocinadores de Eduardo Cunha na presidência da Câmara, hoje um dos maiores, senão o maior dos meliantes na política brasileira; sem esquecer que os mesmos Marinhos colocaram toda a estrutura de seu grupo para sabotar cotidianamente o governo de Dilma Rousseff e estimular outro golpe, dessa vez em favor de Michel Temer, o usurpador. Por essas e muitas outras, a Globo não é compatível com a democracia e é inimiga cruel do Brasil.

OMAR AZIZ SE ABRAÇA AOS GOLPISTAS

       Entre o concreto e o duvidoso para o Amazonas, curiosamente o senador Omar Aziz prefere o segundo. Ora, é do conhecimento até dos rios Negro e Solimões que os governos Lula e Dilma foram os que mais beneficiaram o Estado. No caso de Dilma, foi ela quem prometeu e cumpriu a promessa da prorrogação da Zona Franca por mais 50 anos. Não por acaso, a Presidenta teve uma votação considerada de peso no Amazonas. Não obstante os fatos históricos, o senador negocia seu voto em favor do golpe de estado, desde que Temer, o usurpador, assuma compromisso com a ZFM. Seria cômico se não fosse trágico! Ora, convenhamos, que dignidade e compromisso se pode esperar do senhor Michel Temer, parceiro inseparável de Eduardo Cunha, traidor de sua companheira de chapa em duas campanhas seguidas, predador de conquistas sociais históricas da sociedade brasileira e golpista compulsivo, assim reconhecido no Brasil e no mundo afora? Ao lado disso, Omar Aziz se esquece de que São Paulo, o estado de origem do senhor Temer, sempre foi e continua sendo o maior inimigo da ZFM. Tenha dó, senador, a História é implacável!

DEFENESTREMOS OS GOLPISTAS OU FERREMO-NOS TODOS!

       Convivo com a sensação de que muita gente ainda não se deu conta das maldades que Temer e seus golpistas aos poucos nos enfiam goela abaixo. Vou pinçar apenas algumas. Sabem o SAMU, que foi implantado no Brasil pelo governo Lula? Sabem a Farmácia Popular, da mesma época, que vende medicamentos a preços simbólicos para quem é pobre e para quem não é? Ambos têm prazo de validade até agosto próximo, segundo o ministro golpista da saúde. Sabem o SUS, o velho SUS, que atende milhões de brasileiros e brasileiras mais pobres? Em lugar de aprimorar o sistema, o governo de Temer, o golpista, quer reduzir sua presença, propondo a criação de planos de saúde “populares”. Já imaginaram isso? Sabem o nosso Pré-sal, cujos recursos seriam destinados à área da educação? Os golpistas-entreguistas querem entregar de bandeja para os americanos. Sabem os recursos mínimos obrigatórios que eram investidos em educação e saúde? Temer e sua turma querem retirar essa obrigatoriedade. Sabem o pacote com projetos anticorrupção, que Dilma enviou ao Congresso e pediu urgência em sua apreciação? Temer, o interino usurpador, mandou retirar o caráter de urgência. Sabem o ministro-golpista da Fazenda do interino Temer, o tal do Meirelles? Ele falou que o governo Dilma “gastou” muito em educação. Sabem a jornada de trabalho, que é de 8h/dia? Os apoiadores golpistas de Temer querem aumentar para 12h/dia. E vejam, essas são apenas algumas das muitas conquistas sociais das quais brasileiras e brasileiros poderão ficar órfãos logo mais. Diante, pois, do tamanho da tragédia, ou desalojamos os golpistas com a máxima urgência ou nos ferraremos todos (o “todos” aqui não inclui, é claro, os ricos e poderosos. Esses são intocáveis aos olhos dos golpistas).
(Ilustração: A balsa da medusa, de Théodore Géricault)

A DITADURA DAS BARRINHAS

       Aeronave em velocidade de cruzeiro, luzes de afivelar cintos apagadas, a voz elétrica e pouco melodiosa da comissária de bordo invadia o salão da aeronave e anunciava com uma ponta de orgulho na voz: “Senhoras e senhores, dentro de instantes daremos início ao nosso serviço de bordo. Neste voo, serviremos sanduíche frio com pão de gergelim, queijo provolone, queijo cheda, presunto de peru, tomate e patê de milho, acompanhado de Coca-Cola, Coca-Cola light, guaraná, suco de laranja e suco de manga, cerveja Sol e Xingu”. Lembram-se da época? Continue lendo

O SENTIDO ESCORREGADIO DAS PALAVRAS

       Existe a crença quase generalizada de que as palavras que compõem o universo linguístico de um idioma são transparentes. No sentido de que, na perspectiva do falante, cada uma delas representa, com toda exatidão, apenas aquele significado que lhe foi socialmente passado. Assim, ao dirigir uma dada frase a alguém, esse mesmo falante acredita piamente que os significados dela retidos em sua mente serão exatamente os mesmos a serem captados pela outra pessoa. Daí ser comum, ao longo de uma conversa em que um dos lados entende diferentemente o que está sendo dito, uma das pessoas falar: “Eu fui muito claro! Não entendeu porque não quis!” Ledo engano. A coisa não se dá bem dessa maneira. Está-se diante do que os estudiosos do discurso chamam de ilusão do falante. Continue lendo

DERRUBEMOS OS GOLPISTAS, ANTES QUE A TRAGÉDIA SE ALASTRE!

DERRUBEMOS OS GOLPISTAS,

ANTES QUE A TRAGÉDIA SE ALASTRE!

Já viram a mais nova? O ministro golpista da saúde, Ricardo Barros, afirmou que “não é ministro do SUS”. Entenderam o recado? O negócio dele é outro. Sua proposta de gênio é que se criem “planos de saúde populares”, para que a população de baixa renda possa pagar e, com isso, aliviar o papel do poder público com a saúde da população. Claro que as operadoras de planos de saúde devem estar vibrando com a patriótica iniciativa do cúmplice golpista de Temer, o usurpador. Principalmente aquelas operadores falidas e caça-níqueis, que submetem os usuários às mais constrangedoras situações. Derrubemos os golpistas com urgência ou não sobrará pedra sobre pedra das políticas progressistas de bem-estar social conquistadas a duras penas nos últimos anos.