HEMINGWAY E A DIFÍCIL ARTE DE ESCREVER

HEMINGWAY E A DIFÍCIL ARTE DE ESCREVER

       E esses autores caça-níqueis tentam nos convencer de que escrever bem é só uma questão de regras e macetes… Ledo engano! Produzir um texto, por mais curto que seja, é muito mais do que apenas juntar palavras, orações e períodos. É muito mais do que apenas ser um fiel escravo das enfadonhas regras gramaticais e ortográficas cantadas e declamadas nas aulas de língua portuguesa. Esses elementos representam somente a matéria-prima bruta que precisa ser lapidada e aprimorada, para fisgar o leitor e criar o seu encantamento. Que o diga Ernest Hemingway: “…o trabalho literário me fascinava. Mas era uma tarefa difícil e penosa e eu não sabia quando me sentiria encorajado a tentar uma obra tão longa como um romance. Às vezes, escrever um único parágrafo tomava-me uma manhã inteira”. Para nós, pobres mortais, mais do que um desestímulo, o desabafo de Hemingway deve ser encarado como um irrecusável convite para comprarmos o desafio de enfrentar a página em branco.

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Pin on Pinterest0Email this to someonePrint this page